terça-feira, 17 de abril de 2007

Festa da Cabra

Realizou-se ontem a Festa da Cabra, como manda a tradição, na segunda-feira seguinte à Senhora da Granja, no local onde se situa esta ermida.
Trata-se de uma festa em que apenas podem participar os homens da Aldeia de Santa Margarida. Juntam-se todos na Senhora da Granja, onde é morto um borrego - oferecido por um popular - que é cozinhado para todo o grupo. A refeição é regada com bom vinho e o dia é passado entre o prato e o copo de vinho e as cantigas ao desafio, com o acordeão a marcar sempre presença. Vulgarmente, o grupo acaba por terminar o dia com um passeio pelas ruas da aldeia, onde vão cantando ao desafio.


Uma já antiga tradição - que não sei ao certo quando começou - e que, felizmente, ainda se vai mantendo.



Nota: Disse-me o David Martins, entretanto, que a festa, este ano, se realizou no Salão de Festas da nossa Aldeia.

4 comentários:

Once In a While disse...

só hoje (shame on me) descobri este seu canto .. magnifico :) .. e este post específico faz-me lembrar outras andanças .. o corte do maior tronco (responsabilidade unicamente masculina) para colocar a arder no adro da Igreja .. :)
Voltarei ..
Parabéns !

H.R. disse...

Cara once in a while,
Estaremos perante uma descendente da Beira Baixa? É que isso é o madeiro da aldeia dos meus pais na altura do Natal. Aliás, lá mais abaixo tem alguns posts, sobretudo fotográficos, precisamente sobre o Natal e algumas das tradições que ainda vão resistindo na nossa aldeia.
Já agora, obrigado pela a esta casa. É sempre bem vinda!

Once In a While disse...

Pela altura do Natal precisamente, por vezes tão alto o tronco e o fogo a arder com tanta intensidade que se partiam os vidros de todas as casas em redor . ah pois é ! há uma descendente da Beira Baixa por aqui também ;)
Obrigada h.r. .. sinto-me bem vinda

H.R. disse...

Cara once in a while,
Quanto a vidros partidos nas casas em redor, é possível em tempos idos, mas não tenho conhecimento de tal. Quanto à grandeza do madeiro, já não é como antigamente. Até porque, infelizmente, vão escasseando os rapazes novos que têm de se apresentar na tropa (os responsáveis pelo madeiro segundo a tradição da nossa aldeia, e creio que da região também).
Mas, mesmo assim, ainda consegue fazer vista. E, claro, na noite de consoada, é garantido que lá estará a população em torno do calor bom para a altura do ano.
E se o povo for muito, sobretudo na vertente masculina, é certo e sabido que soará bem alto o Menino Jesus. Ainda antes da missa do galo e do tradicional beijar do Menino.