quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Pedra romana no campanário

Na passada segunda-feira, dia 21, um grande historiador da zona do Sabugal, chamado Fernando Patrício Curado, esteve na nossa aldeia e, voluntariamente e com a devida autorização da Junta de Freguesia, limpou a pedra que está inserida na parede do campanário e que se encontra voltada para a estrada.
Essa limpeza consistiu apenas na remoção de restos secos de heras que estavam a cobrir os "traços" das letras. O engenheiro Fernando Curado - que já escreveu um artigo sobre o património arqueológico da nossa terra
[1] - fotografou a pedra, para que depois a pudesse estudar em casa, utilizando uma técnica que faz realçar as sombras. Desta forma é possível identificar todos os relevos da pedra.

Por agora, o engenheiro Fernando Curado explicou-me que será uma pedra romana pertencente a um jazigo, o qual terá sido feito por "ordem" do testamento escrito, ou talvez tenha sido também um "ultimo desejo". Este historiador explicou ainda que esta pedra está "de pernas para o ar", ou seja, na altura de construir o campanário ela foi colocada ao contrário.

Para já não sabemos mais nada, mas assim que haja mais pormenores, estes serão descritos, o mais rápido que for possível, neste blogue.


David Martins


Nota: Confesso que fiquei muito surpreendido quando o David entrou em contacto comigo a contar-me esta história e a dizer que um historiador tinha entrado em contacto com ele depois de ver o que aqui escrevemos num texto anterior sobre esta pedra.
O David contou-me ainda que a primeira e grande preocupação do engenheiro Fernando Curado foi a de que pudéssemos fazer alguma coisa na pedra com o intuito de procurar descobrir o que lá estava gravado.
Felizmente, neste caso, as nossas pretensões de divulgar o nome de Aldeia de Santa Margarida não vão tão longe assim. Primeiro porque não temos conhecimentos técnicos que nos permitam fazer tal coisa. Depois porque nunca iríamos fazer algo sem autorização da Junta de Freguesia ou da igreja (confesso que não sei bem qual será a entidade responsável pelo campanário).
De qualquer modo, fico para já ansioso por saber novidades desta investigação do engenheiro Fernando Curado. Tal como agradeço já, em nome dos responsáveis deste blogue, o interesse que mostrou, e tem mostrado, pelo património da nossa aldeia.

Houvesse mais gente assim.
O nosso grande bem haja!

Helder Robalo



[1] Fernando Patrício Curado, Fragmento de ara de Aldeia de Santa Margarida, “Ficheiro Epigráfico”, Nº. 17, inscrição 78, Coimbra 1986.

2 comentários:

soly disse...

E quantas vezes passamos todos os dias no mesmo local e não nos apercebemos de pormenores tão importantes, na maior parte dos casos por desconhecimento, puro desconhecimento... olhamos mas não vemos.....
Um abraço
Soly

Helder Robalo disse...

Nem mais minha cara. Foi isso, provavelmente, que aconteceu e que levou a que a hera fosse crescendo por cima da pedra sem ninguém fazer nada.
Um abraço e bom fim-de-semana